10 Razões Para Não Ler Listas na Internet

1 – Listas não têm embasamento metodológico

Embora apresentem informações supostamente científicas, as listas da internet reúnem dados que não foram submetidos a comprovação empírica ou a uma metodologia séria.

2 – Listas são enumerações aleatórias

Por que 10 razões? Por que não 20, ou 100, ou 10.000 razões? A definição do número de entradas não obedece a qualquer critério racional e não tem nenhuma relação com o objeto analisado: explica-se pela facilidade ou conveniência da leitura.

3- Apenas idiotas ignorantes levam listas a sério

Supor que as informações apresentadas numa lista compilada por um autor anônimo são dignas de credibilidade é um sinal de pouca inteligência, credulidade e reduzida capacidade crítica. Além disso, revela um desejo de todo leviano de adquirir informações sem esforço e sem estudo, por meio de compilações que supostamente reúnem o essencial sobre determinado assunto.  Quem se permite ler uma lista provavelmente tem preguiça de ler textos mais extensos, que, além de demandarem mais tempo e concentração, amparam-se em argumentos complexos, difíceis de acompanhar para um palerma desatento.

4- Listas são uma forma de auto-sugestão

Os fatos listados costumam ser selecionados segundo um critério pré-estabelecido que, via de regra, tem como objetivo provar um lugar-comum ou uma crença reconfortante. As listas, portanto, apenas reforçam uma crença prévia do leitor, que, num supremo ato de indulgência, se deixa convencer pelo que quer que confirme seus próprios préconceitos. Puro wishful thinking…

5- Listas são um passatempo leviano

O tempo que um indivíduo perde lendo listas imbecis na internet poderia ser usado para ler um livro ou uma revista, para escrever um texto, jogar xadrez ou até mesmo para tirar um cochilo. Qualquer uma dessas atividades representam uma maneira mais digna de usar o próprio cérebro e o escasso tempo que o Acaso ou Destino concede a cada ser humano.

6 – Listas são uma maneira de mascarar a própria mediocridade existencial

Dar credibilidade a informações simplórias e muitas vezes absurdas pode ser um sintoma de escapismo. Acreditar em verdades reconfortantes pode ser o último recurso de quem leva uma vida vazia, em que os dias se alternam entre o marasmo e o perfunctório. Ou seja, talvez seja uma forma de reforçar a delirante crença de que a própria vida tem importância e significado, provenientes das mesmas pequenas coisinhas que – pelo menos segundo uma apreciação minimamente realista – são o fundamento da própria penúria existencial.

7- Autores de listas são cretinos e picaretas

O próprio gesto de elaborar uma lista, que é um formato fácil e condensado, revela que o autor está mais preocupado em ser lido do que em transmitir uma informação confiável. Não à toa, listas geralmente são publicadas por sites sem nenhuma credibilidade editorial, que conseguem se sustentar economicamente apenas pelos cliques em banners de publicidade que seu crédulo publico dá. O autor de uma lista é espiritualmente irmão do propagandista ou do lobista: ele quer convencer não pelas ideias, mas pela distração, ou pela imagem.

8- Listas são um dos sinais da barbárie de nossos tempos

A proliferação das listas da internet nada mais é que um reflexo da desinformação do publico leitor, que, segundo os indícios, é cada vez mais impressionável e menos capaz de formular um raciocínio por si mesmo. Pelo visto, entramos numa era em que a imagem, o grito e a pantomima contam mais, numa disputa de opiniões, do que as ideias ou o método de pensar. Uma plateia ávida por diversão e sensível apenas a slogans é tudo de que precisam os demagogos e os oportunistas para manipular a opinião pública.

9 – Listas não são capazes de dar conta da complexidade dos problemas

A realidade é problemática, e possui diversas camadas de evidências e de significados. A tentativa de compartimentá-la de forma clara e ordenada pode revelar um desejo de esquivar-se da complexidade – desejo que, em última análise, talvez nasça da angústia humana de não poder abarcar, com seu conhecimento, todo o real. O problema das simplificações e de todas as formas de reducionismo é que elas, além de geralmente serem falsas – empobrecem nossa experiência do mundo.

10 – A vida é breve demais para as listas

Por uma razão muito simples: a vida é breve e valiosa demais para a desperdiçarmos sendo idiotas.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s